Nós oferecemos serviços

Serviços

Irritação e Corrosão Ocular

A avaliação da irritação e corrosão ocular compreende em responder se determinado produto químico apresenta potencial de induzir sérios danos aos olhos de caráter irreversível, induzir irritação ocular de caráter reversível ou de não causar irritação ou lesões oculares graves.

Lesão ocular grave - refere-se à produção de dano ao tecido ocular, ou deterioração física grave da visão, que não é totalmente reversível.
Produtos químicos de teste que têm o potencial de induzir sérios danos aos olhos / efeitos irreversíveis nos olhos são classificados como UN GHS Categoria 1.

Irritação ocular - refere-se à produção de alterações no olho, que são reversíveis.

Produtos químicos de teste que têm o potencial de induzir irritação ocular / efeitos reversíveis nos olhos são classificados como UN GHS Categoria 2.

Os produtos químicos de teste não classificados para irritação ocular ou lesões oculares graves são definidos como aqueles que não atendem aos requisitos para classificação como UN GHS Categoria 1 ou 2 (2A ou 2B), e são referidos como UN GHS No Category (No Cat.)

Atualmente no Brasil métodos alternativos ao uso de animais são utilizados para classificação dos produtos químicos quanto ao potencial de causar irritação e corrosão ocular. Contudo nenhum teste alternativo sozinho consegue substituir o ensaio in vivo. Para que substituição do teste in vivo uma abordagem integrada é utilizada, onde os testes in vitro e/ou ex vivo serão aplicados. Dessa forma o uso de um teste in vivo é recomendado apenas como último recurso com o objetivo de minimizar uso de animais.

METODOLOGIAS ALTERNATIVAS VALIDADAS PARA AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE IRRITAÇÃO E CORROSÃO OCULAR

OECD 491: Short Term Exposure (STE) células de córnea de coelho (SIRC).

OECD 492: Tecido reconstruído de células humanas (epiderme da córnea).

OECD 460: Mede a permeação de fluoresceína em linhagem MDCK (Madin-Darby Canine Kidney).

OECD 437: Córnea bovina (BCOP) - Avalia a opacidade da córnea (opacitômetro).

OECD 438: Olho isolado de galinha (ICE).

METODOLOGIA REALIZADA NO BCRJ

Metodologia

Teste de Curta Duração (OECD 491): Short Time Exposure (STE)

Sistema Teste

Linhagem de células de córnea de coelho (SIRC).

O BCRJ realiza o estudo de acordo com a Abordagem Integrada de Testes e Avaliação ( IATA OECD 263 - Guidance Document on an Integrated Approach on Testing and Assessment for Serious Eye Damage and Eye Irritation)