Citotoxicidade

TESTES DE CITOTOXICIDADE



A citotoxicidade é a capacidade intrínseca de um material em promover alteração metabólica nas células em cultura, podendo culminar ou não em morte celular. O BCRJ conta com várias metodologias aplicáveis à esse tipo de análise nas células. Contemplando ensaios realizados segundo guias e normativas internacionais.


Metodologias

  • Citotoxicidade (OECD 129) - Teste para predição da toxicidade oral aguda
  • Citotoxicidade / Biocompatibilidade (MTT, NRU, XTT), Difusão em ágar (ISO 10.993-5)


Modelos Biológicos

  • Linhagem de tecido conectivo (fibroblastos): BALB/3T3 clone A31
  • Linhagem de tecido conectivo (fibroblastos): L-929
  • Linhagem de tecido conectivo (fibroblastos): V79
  • Tipo celular de acordo com a necessidade do cliente ( Linhagem celular ou cultura de células primárias)


Este método visa avaliar a capacidade das substâncias de teste em causar lesões às células. Para este fim, é utilizado o ensaio de citotoxicidade BALB / c 3T3 NRU, que mede a integridade dos lisossomos. O Documento de Orientação OCDE nº 129 (OCDE, 2010) descreve o conceito de usar os métodos de teste de citotoxicidade in vitro para estimar as doses iniciais para testes de toxicidade sistêmica oral in vivo. Sendo assim, o valor do LD50, estimado a partir do IC50 determinado in vitro, servirá para definir as doses iniciais para o ensaio de toxicidade sistêmica oral aguda in vivo descrito nos métodos OECD TG 420 (toxicidade oral aguda – procedimento de doses fixas) , OECD TG 423 (avaliação da classe tóxica aguda) ou OECD TG 425 (procedimento “UP and Down” – UDP). Sendo o presente método, considerado como um candidato adequado para utilização nas estratégias potencialmente testadas e integradas de testes de toxicidade oral aguda em humanos. É considerado um teste de triagem, contribuindo para redução e refinamento no uso de animais em pesquisa.


Citotoxicidade / Biocompatibilidade (ISO 10.993-5)

Os ensaios segundo a normativa ISO 10993-5:2009 são aplicáveis para avaliação da citotoxicidade in vitro de dispositivos médicos.

Todas as metodologias utilizam um tipo de celular como modelo biológico, que pode ser de acordo com a escolha do pesquisador à depender da finalidade do material testado. O modelo biológico é então incubado em contato com um dispositivo e / ou extratos de um dispositivo médico de forma direta ou por difusão.

Três categorias de teste podem ser realizadas à depender da natureza da amostra a ser avaliada, do potencial local de uso e da natureza do uso: teste de extrato, teste de contato direto, teste de contato indireto.

Consulte a equipe técnica do BCRJ para analisar se estamos aptos à atender o ensaio adequado para sua amostra.